A Bupropiona ajudou meu amigo a largar o cigarro

A Bupropiona, remédio também usado para a depressão, tem forte ação antitabagista ao impedir a fissura e a compulsão pelo cigarro.

A Bupropiona, remédio também usado para a depressão, tem forte ação antitabagista ao impedir a fissura e a compulsão pelo cigarro.

Por uma dessas casualidades da vida, eu não tenho praticamente nenhum contato com meus amigos de infância. A coisa toda é uma evolução: mudanças frequentes, trocas de colégio, faculdades diferentes, trabalhos em outras cidades… Aí, um dia, você percebe que a maioria das pessoas com as quais você cresceu nos seus anos de formação não faz mais parte do seu círculo imediato de relacionamento.

Algumas chegam até a figurar como amigos nas redes sociais, mas geralmente o contato fica restrito às “curtidas” e comentários breves sobre os filhos, viagens e animais de estimação. Sempre achei isso uma pena, essa falta de contato, mas é assim que a vida segue.

Dito isso, imagine minha reação ao encontrar um amigo dos tempos de colégio acidentalmente durante uma viagem a trabalho. Sentado em uma das mesas externas de uma lanchonete, lendo as notícias do dia via celular e esperando o horário de um compromisso, vejo alguém extremamente familiar sair de uma banca de jornal próxima.

Quando ele passa por mim, se detém por um momento e é provável que tenha feito a mesma pergunta que mentalmente eu me fiz: de onde eu conheço esse cara? Em um estalo, ambos se reconhecem – apesar dos muitos anos, dos diversos quilos a mais e dos cabelos bem menos fartos de cada um –, e o sorriso trocado é imediato.

A coincidência acabou virando pano de fundo para trocarmos experiência sobre de tudo um pouco, inclusive sobre as memórias dos anos que já se foram. Falamos sobre a vida pessoal, sobre os caminhos que nossas vidas tomaram e sobre o que esperamos fazer no futuro. Mas uma coisa me chamou a atenção: esse meu amigo fuma muito! E, não à toa, começou um tratamento para largar o vício com Bupropiona.

Um cigarro atrás do outro

Esse medicamento atua na área do cérebro responsável pela produção do prazer causado pelo fumo.

Esse medicamento atua na área do cérebro responsável pela produção do prazer causado pelo fumo.

Afinal, por mais feliz que estivesse com o reencontro com esse amigo, não pude deixar de notar os diversos cigarros fumados por ele durante a conversa, um atrás do outro. Parecia uma compulsão. Ao término de cada frase, lá estava ele puxando um novo cigarro de seus maços intermináveis. Tanto fiquei incomodado que, ao final de um tempo, ele próprio disse, meio envergonhado, que estava tentando parar fazia algum tempo.

Naqueles dias começara um tratamento à base de Bupropiona, um medicamento que lhe fora indicado por um profissional da área. O que diferenciava a Bupropiona das tentativas anteriores, segundo ele, era justamente o fato dela agir diretamente nas áreas do cérebro responsáveis por associar a nicotina do cigarro à sensação de prazer, agindo ainda para controlar a ansiedade. Pelo que me disse, o remédio também é usado como antidepressivo e até mesmo para emagrecimento, por conta dessa forma de atuação.

Sucesso

Aos nos despedirmos e trocarmos contatos, desejei sorte a ele no tratamento, brincando para só mandar notícias se tivesse conseguido parar de fumar. Ele riu e disse que ele e a Bupropiona fariam o possível. Vários meses depois, já quase esquecido daquele encontro pela correria do dia a dia, recebo um e-mail dele dizendo que tinha conseguido finalmente largar o vício. Ainda sentia vontade de fumar eventualmente, mas já estava seguro o suficiente para ignorá-la. Em anexo estava uma foto dele e de seu filho – por sinal, a cara dele quando era pequeno – fazendo uma trilha em uma bonita região montanhosa, coisa que ele dizia nem imaginar conseguir fazer pouco tempo antes pela falta de disposição para tal. “Tudo graças à Bupropiona”, arrematou, antes de sugerir um encontro entre as famílias em um futuro próximo. “Sem cigarros, prometo!”.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*