As vantagens dos medicamentos de aplicação sublingual

Confira por que os remédios de administração sublingual são melhores que os demais!

Confira por que os remédios de administração sublingual são melhores que os demais!

Não são apenas os nomes e os objetivos que distinguem os muitos medicamentos disponíveis no mercado farmacêutico. Afinal, você sabia que eles também têm diferentes tipos de aplicação, dependendo da doença e do problema que eles combatem? No meio medicinal, são muitas as formas de utilização dos fármacos – eles podem ser aplicados sobre a pele (administração epidérmica), podem ser inalados (administração inalável), colocados sobre os olhos (colírios), dentro do nariz (intranasal), nas veias (injeção intravenosa), nos músculos (intramuscular) e também na boca.

No caso da boca, o medicamento pode ser administrado de forma translingual, sublingual ou bucal. O último todos conhecem: trata-se da ingestão do medicamento com água ou qualquer outro líquido. Já as vias translingual e sublingual diferem entre si pela posição como o paciente precisa posicionar o comprimido ou o remédio na língua. Na via translingual, ele deve ser colocado por cima da língua, enquanto, na sublingual, como o próprio nome já diz, ele deve ser inserido embaixo da língua, não podendo, em nenhuma das duas situações, ser ingerido. O remédio precisa se dissolver naturalmente.

São muitos os remédios sublinguais – e aqui você vai descobrir qual a vantagem dessa aplicação em relação às demais. Dentre eles, há o Toragesic®, que é um potente anti-inflamatório. Outros medicamentos de administração sublingual incluem o Traumeel®, utilizado para o tratamento de traumas, e o Isordil®, que é comumente receitado para reduzir a frequência, duração e intensidade das crises de angina (dores no peito).

 

O medicamento não se perde no caminho

Os medicamentos sublinguais não são metabolizados pelo fígado e assim mantêm suas propriedades.

Os medicamentos sublinguais não são metabolizados pelo fígado e assim mantêm suas propriedades.

A principal vantagem dos medicamentos de via sublingual está no fato de que eles não sofrem danos ou deterioração no caminho rumo aos órgãos do corpo, como acontece com os remédios de administração oral.

Vamos pegar um exemplo simples para ilustrar isso. Uma pessoa deseja ir até um bairro distante e, para isso, ela vai pegar uma linha de ônibus. Essa linha de ônibus, no entanto, passa por diversos locais antes de chegar ao bairro e, assim, quando ela finalmente desce no ponto desejado, ela já está muito mais cansada e tem menos energia do que quando ela iniciou o trajeto. Imagina, então, se houvesse uma linha de ônibus mais rápida, que fosse diretamente até o bairro dela. Não seria mais fácil?

É isso que acontece com os remédios sublinguais. Quando o medicamento é ingerido no caso da via oral/bucal, ele acaba caindo no sistema digestivo antes de chegar aos órgãos do corpo e, com isso, ele é metabolizado. Calcula-se que aproximadamente 90% do medicamento perde suas propriedades com a metabolização pelo fígado, num processo que é denominado no meio científico como efeito de primeira passagem. Logo, a biodisponibilidade da droga – isto é, as propriedades não-alteradas do fármaco que atingem o sangue – fica muito menor, e as chances de um tratamento mais rápido e eficiente são proporcionalmente mais baixas.

De acordo com especialistas, para que um medicamento de 10 miligramas realmente funcione, o paciente precisa aplicar 100 miligramas no corpo, já que 90 mg serão perdidos pela metabolização do fígado. Isso não só retarda e complica o tratamento, como também pode estimular a dependência química, prejudicando a retomada de uma vida normal depois de sanado o problema ou a doença em questão.

 

Aproveitando as veias sanguíneas da mucosa oral

Remédios sublinguais, como o Toragesic®, o Traumeel® e o Isordil®, aproveitam-se da riqueza venosa da mucosa oral para evitar esse problema. Afinal, como eles não chegam ao trato gastrointestinal, eles são dissolvidos diretamente na língua e desembocam nos muitos vasos sanguíneos que constituem a mucosa oral, a qual tem um epitélio fino perfeito para a absorção dos remédios.

Assim, tudo fica muito mais rápido – os remédios já atingem os primeiros vasos sanguíneos em um minuto e, depois de 10 minutos da aplicação, eles já estão circulando pelos órgãos e pelas veias mais internas. Tudo isso sem dor, o que é melhor de tudo. Alguns medicamentos, para evitar sua metabolização, são aplicados através de agulhas e vacinas, mas, no caso dos sublinguais, o paciente não sente nada – pelo contrário, é tudo muito tranquilo, bastando apenas o paciente tomar alguns cuidados para evitar problemas.

Primeiramente, você não pode colocar o remédio sob a língua sem uma luva devidamente higienizada. Como o remédio não sofrerá metabolização, ele não deve, sob nenhuma hipótese, ser contaminado. Além disso, o paciente deve observar se sua língua está irritada, tem alguma úlcera ou machucado, já que isso pode causar danos às propriedades medicamentosas. E, por fim, a recomendação é alternar o lado da língua a cada aplicação – ou seja, você não pode colocar o remédio no lado direito se você o utilizou da última vez. Isso amplia as chances de o tratamento ser mais eficiente.

E, é claro, nunca se automedique. Seja o Toragesic® ou qualquer outra medicação sublingual (ou até de outras vias, dependendo do caso), você só pode consumi-lo com a devida prescrição e orientação médica. Assim, você terá o combate contra as inflamações e contra as dores acelerado e muito mais agilizado!

No comments yet.

Deixe uma resposta

*