Trabalhador necessita avaliar a situação antes de exigir uma rescisão indireta de seu vínculo empregatício

Toda situação extrema deve ser pensada e analisada com cuidado antes que uma decisão irreversível seja tomada. Quando o trabalhador enfrenta uma condição adversa ou alguma postura abusiva por parte de seu empregador pode se sentir desmotivado, desrespeitado e propenso a pedir a sua saída da empresa. Mas, essa não é a atitude correta a ser efetuada. Afinal, o funcionário está realizando os seus deveres e quem está cometendo excessos e atos inadequados é seu empregador.

A partir do momento que o colaborador opta pelo pedido de desligamento está abrindo mão de lutar por seus direitos. Mas, como o trabalhador pode se defender de uma realidade ameaçadora? Conheça a rescisão indireta e como essa medida pode auxiliar o trabalhador.

Com cautela, trabalhador pode usar rescisão indireta para sua proteção

Muito utilizada pelos empregados quando as empresas param de pagar com as medidas definidas nos contratos de trabalho, a rescisão indireta, a partir do momento que é reconhecida de maneira legal, demanda que o empregador pague ao seu antigo funcionários todos os valores previstos na rescisão, da mesma forma como se tivesse dispensado esse colaborador sem justa causa.

Além disso, a empresa também é obrigada a arcar com o pagamento da multa de indenização de 40% em cima do valor do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, já que a rescisão indireta contou com pontapé inicial a ruptura do contrato de trabalho por parte da empresa.

Já sabe seus direitos ao acontecer acidente de trabalho?

Cautela e bom senso são indicados nessa situação

Mas, sempre é recomendado que o funcionário haja em sua própria defesa com bastante cautela e mantendo o seu bom senso. É fundamental realizar uma consulta a um advogado com experiência no ramo trabalhista antes de requerer uma rescisão indireta.

A solicitação de ajuda de um advogado garante que o funcionário terá todas as suas dúvidas devidamente esclarecidas e contará com a orientação de alguém qualificado para tomar a melhor decisão dentro do seu caso. Afinal, não adianta se basear na opinião de amigos e familiares que estão por dentro dos acontecimentos.

Outra possibilidade ainda é recorrer ao sindicato representante de sua categoria profissional para entender o que deve ser feito de acordo com o que o colaborador está enfrentado no seu emprego. Pois, dependendo da situação a qual o funcionário está sendo exposto, além de contar com uma rescisão indireta e todas as indenizações de direito, ele também pode ter a possibilidade de exigir na Justiça o pagamento de seu empregador de uma indenização por danos morais.

Portanto, o trabalhador deve procurar sempre acompanhar os acordos coletivos costurados pelo seu sindicato, pesquisar sobre os seus direitos e, caso seja necessário, buscar as orientações de um advogado.

Dúvidas trabalhistas? Acesse Beirith Advogados e entenda os seus direitos!

No comments yet.

Deixe uma resposta

*