Como surgiu a Reflexologia Podal?

Existem relatos indicam que várias civilizações da Antiguidade já praticavam algo parecido com métodos similares a e técnica da Reflexologia. Entre estes povos se destacam os Egípcios e Chineses.

Em meados do século XV alguns países Europeus, como Alemanha e Inglaterra, já introduziam estudos sobre Reflexologia, estes eram denominados na época como “terapia de zonas”. Outras fontes indicam que povos primitivos da América Central e do Norte também usavam os pés para tratar suas doenças.

A base científica para reflexologia começou mesmo no século passado. Em 1890, o médico cientista, Sir Henry Head demonstrou a relação neurológica que existe entre a pele e os órgãos internos. Sir Charles Sherrington, demonstrou que o corpo e todo sistema nervoso se ajusta a um estímulo, quando este é aplicado a qualquer parte do corpo.

Já na Alemanha, Dr.Alfons Cornélio observou que uma pressão em determinados pontos desencadeia certas contrações musculares, alterações na pressão arterial, também variações de temperatura e umidade do corpo, e alterações no estado mental do paciente.

Mas foi em 1917 que o Otorrinolaringologista, Dr. Willian Fitzgerald, publicou seu livro chamado “Terapia de Zonas”, determinando a posição de órgãos e áreas do corpo nos pés. Seus estudos serviram de base para que o Dr. Joseph S. Riley desenvolvesse diagramas detalhados sobre pontos reflexos localizados nos pés.

Mas foi a Dra. Eunice Ingham, assistente do Dr. Joseph S. Riley e considerada uma das maiores autoridades no ramo da Medicina Natural, que aprimorou essa técnica, ao mapear os pés em relação às zonas e a seus efeitos sobre o restante da anatomia. Com isso ela estabeleceu nos pés um mapa de todo o corpo.

Hoje a Reflexologia é difundida em vários países. Historicamente foi desenvolvida para ter um efeito positivo sobre o corpo. Destinada a auxiliar no tratamento de uma grande variedade de problemas crônicos. Mas não deve ser encarada como um substituto para o tratamento médico. Ela pode sim ter um papel fundamental sendo um complemento para qualquer tipo de abordagem médico ou terapia.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*