Danos venosos da pele e da ulceração

Qual é o mecanismo dos danos venosos da pele e da ulceração?

O mecanismo preciso que leva às alterações da pele e ao desenvolvimento de úlceras é controverso, apesar de toda a pesquisa feita ao longo dos anos. Existem duas grandes teorias.

Teoria da cobertura de fibrina

Os exames microscópicos de pele danificada da parte inferior da perna revelam uma camada de fibrina (uma das substâncias responsáveis pelos coágulos sanguíneos) à volta dos capilares. Acreditou-se que esta camada de fibrina interferia na passagem do oxigénio do sangue para os tecidos. Contudo, investigações mais recentes revelam que esta não deverá ser a causa principal dos danos na pele e gordura.

Teoria do encurralamento dos glóbulos brancos

Os glóbulos brancos (leucocitos) contêm diferentes substâncias (que podem causar inflamação), que libertam quando são estimulados para o fazer. Estudos sobre os capilares do tornozelo revelaram que os leucócitos ficam “encurralados” aí quando a pressão sanguínea é elevada. Eles aderem a receptores especiais que existem nas paredes dos capilares e podem, depois, libertar substâncias inflamatórias, que causam danos no tecido. Se ocorrer durante um longo período de tempo, esta pode ser a causa dos danos na pele e na camada de gordura por baixo dela.

Juntando as teorias

A camada de fibrina encontrada na pele cronicamente danificada pode ser o resultado a longo prazo da inflamação causada pelo encurralamento dos globulos brancos, em vez de ser a causa do problema.

Apesar de toda a pesquisa feita, há ainda muitos aspectos dos mecanismos dos danos venosos da pele que não compreendemos. A razão exacta do desenvolvimento de úlceras na área danificada também não é inteiramente conhecida, embora se saiba que qualquer traumatismo, como uma pancada na perna, pode ser o começo de uma úlcera. Uma vez que a pele se tenha tornado cronicamente danificada jamais voltará ao normal, a cura nunca será total e estará sempre sujeita a úlceras. Contudo, tratar os problemas venosos subjacentes ou usar umas boas meias elásticas ajudarão a rmpedir que piore e se torne mais vulnerável.

PONTOS CHAVE
– Existem dois sistemas de veias nas pernas: as importantes veias profundas e as veias superficiais imediatamente abaixo da pele; são as veias superficiais que se tornam varicosas.

– Normalmente, as válvulas das veias permitem que o sangue circule no sentido ascendente da perna e a acção dos músculos ajuda a bombeá-lo para cima.

– Quando as veias se tornam varicosas, as válvulas tornam-se insuficientes: o sangue pode circular no sentido errado e provocar um aumento de pressão, que provoca a dilatação das veias quando se está de pé; esta elevada pressão pode causar sintomas como dores e, ocasionalmente, danos na pele.

– As varizes estão relacionadas com o avançar da idade, a gravidez e ocorrem mais nas sociedades ocidentais.

– Ainda não há certezas sobre a causa da maioria das varizes: pode ser porque as válvulas das veias se tornam insuficientes “de cima para baixo” ou porque as paredes das veias enfraquecem.

– As varizes provocam dores e sensação de cansaço, mas há muitas outras causas para as dores nas pernas; o mesmo se aplica ao edema do tornozelo.

– O aumento de pressão nas veias, como resultado da insuficiencia das valvulas, pode causar danos na pele, como eczema, hiperpigmentação (escurecimento) fibrose da gordura abaixo da pele ( lipodermatosclerose); as ulceras podem, depois, desenvolver-se.

– Apesar de toda a investigação feita, não é possivel prever quem vai sofrer alterações da pele e úlceras e não se sabe exactamente como é que os danos da pele se desenvolvem.

Leia também

No comments yet.

Deixe uma resposta

*