Estudo de Tecnologias Avançadas de Mobilidade

Estudo de Tecnologias Avançadas de Mobilidade

O estudo foi realizado, a partir da observação das dificuldades dos cadeirantes e pela análise do esforço exercido sob a cadeira de rodas convencional, que é muitas das vezes intensa, sendo muitas vezes ineficiente, pelo seu tamanho e processo de manuseio, o projeto visa ampliar a mobilidade e diminuir os desgastes.

O cadeirante quase sempre é privado de acessibilidade, devido ao mau planejamento urbano, sendo alvo de desigualdades e privação social.

O projeto visa permitir o acesso a novas tecnologias de mobilidade por meio da robótica, melhorando a qualidade de locomoção. Através de entrevistas com cadeirantes via redes sociais, correspondência eletrônica, palestra sobre o projeto e as demonstrações públicas das tecnologias atualmente disponíveis, irão viabilizar a definição do projeto de engenharia que atenda ao máximo os itens de: mobilidade, segurança e conforto por meio da robótica.

No projeto de engenharia foi realizada a construção de um protótipo utilizando como referencial a tecnologia do pendulo invertido, ou seja, um mecanismo que se equilibra sobre duas rodas fazendo com que o cadeirante fique em pé.

Esta pesquisa científica possibilitou que os cadeirantes, pudessem visualizar dentre as tecnologias apresentadas um mecanismo que fosse ágil, rápido e eficiente em sua locomoção na pratica do dia-a-dia. Expondo algumas das maiores dificuldades, os mesmos relataram: ineficiência da cadeira, a vida útil reduzida das fontes de energia, a falta de acessibilidade, seu desgaste físico, dimensões e ergonomia da cadeira.

Este projeto visa o desenvolvimento de um mecanismo que seja ágil e rápido que possibilite a redução do desgaste físico do cadeirante, através de elementos da robótica.

Com base nas pesquisas, foram levantados dados estatísticos que definiram uma proposta para um equipamento de mobilidade atualizado, viável para o projeto, criando então o protótipo que possa atender a todos os quesitos apresentados no projeto de engenharia.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*