Homeopatia na indução do parto: Lista de 14 Remédios Homeopáticos

Muitos hospitais, no Brasil e também em Portugal, já efetuaram muitos partos com o auxílio da homeopatia. A homeopatia pode ser um auxílio para a grávida, tanto na preparação para o parto como no próprio trabalho de parto.

Homeopatia na indução do trabalho de parto

O trabalho que a homeopatia faz é melhorar a indução do trabalho e diminuir a dor e o estresse resultante do mesmo. Atua tanto na contração uterina como na dilatação do útero facilitando o trabalho de parto. É inócuo por se tratarem de remédios diluídos e os resultados são satisfatórios.

Dois dos grandes remédios para o trabalho de parto são a pulsatilla, Caulophyllum thalictroides e actaea racemosa. Ambos estimulam as contrações uterinas, especificamente dos músculos longitudinais do útero, permitindo uma melhor dilatação uterina e reduzindo o tempo de expulsão do feto.

Estes remédios homeopáticos atuam também na dor do parto visto esta ser causada pela contracção de dois tipos de músculos ao mesmo tempo (os longitudinais e os circulares), o que produz o espasmo uterino, que é o responsável pela dor no parto.

O trabalho de parto é feito por uma equipa composta por um obstetra, um neonatologista, um homeopata, e pessoal assistente.

O protocolo homeopático no parto pode atuar apenas ao nível da contratilidade do útero, mas também poderá atuar sobre o estado de ansiedade que a grávida sofre no decorrer do mesmo.

Os remédios homeopáticos são utilizados em função do conjunto de sintomas que a paciente relata ao homeopata no decorrer do parto, além da leitura do próprio monitor cardio-fetal e dos dados cedidos pelo colega obstetra.

Assim é administrado o remédio que mais se adapte à situação momentânea da grávida, seja ela física ou psicológica, sendo por isso um parto muito interativo com a equipa clínica.

14 Remédios homeopáticos para induzir o parto e ajudar na recuperação após o parto

Napellus Aconite (Acon) – Contrações violentas e intensas, produzindo um estado de medo e ansiedade.

Arnica montana (ARN) – Sente o corpo machucado, dolorido. Não quer que as pessoas lhe toquem. Alivia os danos dos tecidos moles (períneo ou no abdómen) após o parto ou cesariana – reduz o inchaço, hematomas, risco de infecção e promove a cura.

Arsenicum album (Ars) – inquietação ansiosa levando à exaustão física. Ansiedade. Infecções do períneo após o parto.

Bellis perennis (Bell-p) – Para tecidos pélvicos machucados ou abdominais, dores após o parto ou cesariana. A Bellis perennis muitas vezes funciona bem depois da Arnica montana, ou quando a Arnica montana não alivia o desconforto ou dor.

Caulophyllum (Caul) – Falso trabalho de parto onde as dores são no abdômen. Colo do útero rígido e com dores – o colo do útero não consegue dilatar. As contrações tornam-se irregulares e param.

Racemosa Cimicifuga (CIMIC) – rigidez e espasmos no colo do útero. O Útero sobe até ao abdômen durante a contração. Contrações Irregulares, mas dolorosas.

Chamomilla (Cham) – As dores são insuportáveis, mesmo no início do trabalho de parto. Grávida extremamente irritada ou com raiva.

Gelsemium sempervirens (Gels) – Fraqueza e cansaço – difícil de suportar o peso. Músculos tremem com o esforço do movimento. Contrações enfraquecem e param.

Hypericum perforatum (Hyper) – Dores nervosas e danos no períneo.

Kali-carbonicum (Kali-c) – contrações irregulares. A dor das contrações é sentida principalmente na parte de trás (ou seja – com o bebê na posição posterior). Grávida Com medo de morrer.

Kali-phosphoricum (Kali-p) – Esgotamento físico durante ou após o parto, onde alguns outros sintomas podem estar presentes.

Pulsatilla pratensis (Puls) – contrações mutáveis e erráticas. Muito inquieta. Muito chorosa e querendo o conforto dos outros. Cara corada.

Pyrogenium (Pyrog) – É provável que não seja necessário, mas é um remédio homeopático importante se desenvolver-se uma infecção pós-parto no útero. Rapidamente resolve infecções como a sepse ou septicemia. Pode ser usado como efeito protector de infecção da mãe para o bebê ou se a bolsa das águas romper muito antes do início do trabalho.

Staphysagria (Staph) – Após incisão, penetração, ou alongamento das fibras musculares, como acontece com uma cesariana, ou dilatação e curetagem. O Staphysagria (Staph) incentiva a rápida cicatrização de feridas incisionais ou lacerantes. Alivia os sentimentos de raiva, ressentimento, decepção e distúrbios emocionais que possam seguir a uma cesariana.

Camomila: As numerosas propriedades da planta fazem dela um maravilhoso remédio homeopático

No comments yet.

Deixe uma resposta

*