Omeprazol: Hérnia de hiato, crise de azia, dores muito fortes e refluxo gástrico

“Haja estômago!”. Eu ouvia muito essa expressão quando era mais nova – hoje em dia, parece que o pessoal enjoou e parou de usá-la.

Mas era muito comum quando alguém falava sobre trabalhos nojentos como limpar fossas, ralos de chuveiro ou desentupir privadas. Também usavam isso quando mencionavam uma montanha-russa dessas de virar qualquer tripulante do avesso.

Omeprazol Hérnia de hiato

Mas depois de uma certa idade, descobri um problema que me fez repensar essa frase. Depois de uma crise de azias e dores muito fortes, fui a um médico. Meu medo era que houvesse criado uma úlcera ou coisa do tipo (isso me impediria de tomar meu sagrado cafezinho).

Na verdade, era um problema do qual eu nunca tinha ouvido falar, me tornaria quase que dependente de Omeprazol e, quando ele mencionou, lembrei das aulas de português: hérnia de hiato. Hiato? Para mim era um desses encontros vocálicos das regras de português, mas… como dá hérnia num hiato? Eu tenho um hiato no estômago?

O que é a hérnia de hiato?

Ele já devia estar acostumado com esses estranhamentos, então mal se deu ao trabalho de dar um sorrisinho besta que fosse. Mas me explicou direitinho.

A hérnia é quando uma abertura no organismo enfraquece e permite a passagem de um órgão ou tecidos por ela. Por exemplo, a hérnia umbilical é um enfraquecimento na parede abdominal que permite que tecidos passem por ela em direção ao lado de fora do corpo (não chega a acontecer isso, mas forma-se uma “bolinha” visível no umbigo).

No meu caso, a tal hérnia era o enfraquecimento do hiato no meu diafragma. O hiato é o “buraco” no diafragma, por onde o esôfago passa e chega ao estômago. Se esse buraco se alarga, ou fica mais flácido, ele deixa uma parte do estômago passar, e isso não é legal. Além de doer, dá uma azia danada e muito refluxo gástrico – e além do mais, o lugar do estômago não é cá em cima, colado com o coração e os pulmões, né? Como não tinha “reparo”, ele me receitou uns cuidados com a alimentação e o medicamento Omeprazol por um mês.

Quais as causas?

Voltei para casa pensando: “hérnia de hiato… hérnia de hiato… Como é que essa coisa foi acontecer? Eu nem boto tanta comida na boca de uma vez só pra ela dilatar o hiato desse jeito!“. Não entrava na minha cabeça. Mas o médico foi tão seco que eu não quis perguntar mais nada para ele. Só que a dúvida continuou e resolvi perguntar para um tio, que é anestesista. Talvez ele soubesse…

Liguei para ele, comentei sobre o problema e falei que estava cheia de dúvidas. Tadinho, ele foi um docinho comigo e respondeu todas.

O negócio é o seguinte: a hérnia pode ser de nascença (o que não era o caso), provocada acidentalmente por alguma cirurgia no abdome (o que também não era o caso), uma gestação (já que o bebê vai empurrando tudo pra cima, mas também não era o meu caso) ou pode ainda ser resultado de algum trauma, alguma pancada forte que ocorresse no abdome – por exemplo, um acidente de carro, uma queda, um murro durante uma briga.

E também não era o caso! Nunca briguei com ninguém, nem sofri acidente ou queda desse tipo.

O que pode ser, então?

Ele me perguntou: “você ainda usa aquelas calças super apertadas?”. E eu usava, sempre gostei de calça justa. “E você passa mais tempo sentada ou em pé?“. Sentada, por causa do trabalho e da faculdade. E ele respondeu: “pois então. Eis aí a causa: a cintura da sua calça deve estar forçando seus órgãos internos para cima e empurrando o estômago na direção do hiato“.

Paralisei. Minha calça justa podia ter sido a responsável pelo problema de saúde que eu passaria a ter pela vida toda!

Ele só me pediu para ter cuidado com o Omeprazol, porque, se tomar por muito tempo, ele intoxica o fígado; mas como era por um mês, estava tranquilo. Ah, claro, e de lá para cá, agora, só calça mais folgada!

No comments yet.

Deixe uma resposta

*