Para onde vai o entulho de uma reforma?

O entulho e sua destinação são problemas ambientais graves. Com a ampliação da atividade da construção civil sobretudo nos grandes centros, o volume deste tipo de resíduo é gigantesco e, infelizmente, muitas vezes é incorretamente descartado. Mesmo com a contratação de empresas que fazem esse recolhimento, algumas acabam apenas afastando o problema da cidade e depositando esse material em locais indevidos.

Desde 2003, vigora uma resolução (nº 307) do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) que estabelece a obrigatoriedade da destinação adequada do entulho por quem o produziu. Para tanto, outra lei prevê a criação por parte dos municípios de programas de gestão e destinação dos resíduos da construção civil. Portanto, a responsabilidade sobre o entulho é de quem o gerou, e cabe a essa pessoa procurar os meios adequados junto ao município para que se faça um descarte adequado.

O entulho gerado por uma reforma, por exemplo, possui algumas possibilidades de destinação. Se na própria obra os profissionais já tiverem consciência, podem fazer uma separação prévia deste material. Uma boa parte como ferros e fios é considerada sucata e merece um destino separado. A reciclagem de sucata é mais simples, existem em todo o país locais que recolhem e inclusive compram esse tipo de material o que ao fim de uma obra pode representar inclusive uma receita significativa.

O restante do material é composto por cimento, argamassa, restos de revestimentos, tijolos etc. Esse material não deve ser depositado desta forma na natureza. Devem ser separados conforme sua categoria e passar por um triturador de entulho.

A produção de entulho deve ser, portanto, observada e separada, como se faz na coleta seletiva do lixo. Com o mínimo de informação, consegue-se fazer a destinação adequada desses materiais. Ao fazer uma reforma, converse com os profissionais que estão lhe ajudando e procure a melhor solução para isso.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*