Para que o cabo de aço foi inventado

Os cabos de aço foram inventados para substituir as correntes utilizadas nas minas de carvão. A substituição aconteceu por causa do peso e comprimento da corrente. Pois quanto mais se aumentava o comprimento da corrente, por consequência o peso também aumentava. E isso muitas vezes tornava o impossível o trabalho.

Os cabos de aço são feitos com fios de arames trançados.  É através do processo conhecido como trefilação ou esticamento que os arames são adquiridos. Esta é a técnica onde cada conjunto de fios constrói uma perna, e esse conjunto envolve uma alma. Precisa-se de um número específico de conjuntos de fio de aço para formar cabos de aço.  E foi a partir de fios de aço que resultou neste material resistente e com um peso menor.  Essa técnica de fios de arames trançados foi criada pelo alemão Wilhelm August Julius Albert, no ano de 1834.

No decorrer da produção da matéria prima dos cabos de aço é utilizado o teor de manganês, fósforo, carbono, enxofre.

A composição do fio é um item determinante na produção dos cabos de aço, pois a composição das pernas levam nomes específicos de acordo com a quantidade de fios de arames envolvidos, são eles: Filler, Warrington, Seale.] Quanto mais pernas e quanto mais fios tem um cabo, mais maleável ele é.

Conforme a sua especificação, cada tipo de cabo de aço recebe um nome e é por isso que é possível entender em qual função e área ele pode ser utilizado. Cada modelo possui um número de pernas, quantidade de fios de arames em torno da pena e no topo da alma.

Passando quase duzentos anos, o cabo de aço evoluiu bastante a passou a ser utilizado em atividades como elevação de cargas, reboques, transporte de pessoas e cargas e na construção civil e em portos.

A qualidade do cabo de aço está diretamente ligada a segurança da atividade a ser exercida, por esse motivo há modelos diferente e específicos para cada função.

 

 

No comments yet.

Deixe uma resposta

*