Perfumes para ocasiões corretas

Os perfumes, são na maioria das vezes uma marca registrada de quem o utiliza, podendo manifestar o seu caráter e mesmo a sua personalidade.

Independente de seu apelo, os perfumes acabam tendo uma regra a ser usada, e isto é uma maneira de manifestar o bom senso.

Carregar demais no perfume, e ficar exalando, como se fosse uma loja móvel daquela determinada marca e cheiro, ao invés de impactar e agradar, acaba sendo um grande inconveniente que fará muitos a seu redor se sentirem até mesmo mal. E o pior em alguns casos pode causar ainda incomodo na saúde alheia.

Saber dosar a quantidade e a qualidade do perfume não é uma questão de alquimia, mas uma forma de demonstrar inclusive o bom gosto e o respeito alheio. Ir para a escola, ou o local de trabalho, e “infestar” o ambiente com seu cheiro peculiar, doce ou forte, não importa, pode incomodar e não é o mais ideal ao momento.

Fragrâncias marcantes independem de deixar um rastro no ar e por onde você passa o ideal, é que as pessoas o sintam, quando estiverem bem próximos a você, e nunca, por até às vezes 10 minutos depois que você passou pelo local, isto as vezes gera “chacotas” e gozações que você nem gostaria de ouvir.

Outra atitude ruim é quando o exagero deixa marcas nas pessoas, você se faz uso de um perfume tão marcante e forte, que ao cumprimentar, outras pessoas, você as impregna, sejam ao tocar em sua roupa, rosto ou mesmo através de um simples e caloroso aperto de mão.

Situações como esta, marcam pelo exagero, e não pela qualidade e formalidade que os momentos requerem. Saiba usar o quando e o onde, pois o que vale é a sutileza, e não a agressividade de se exalar um cheiro, que parece ser uma forma forçada de esconder outros aromas por você exalados.

Saber o que usar, numa reunião no local de trabalho, se você é um agente da saúde publica, por exemplo, ou um executivo, se você trabalha com o publico ou isolado em um local qualquer de sua empresa, seja na balada ou na sala de aula, o que importa é a sutileza e não a agressividade, até por que imagine aquele cheiro irritante de jasmim, numa sala de reunião, ou exalar um cheiro mais afrodisíaco, numa sala de velório.

O bom senso pede e exige que se levem conta o local e o momento, e não apenas a sua vontade e desejo de se destacar no meio.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*