Pior frase para um trabalhador: você está demitido!

Qual é a pior frase que um patrão pode dizer para um funcionário, especialmente, em uma época de crise na economia nacional? “Você está demitido”.

A perda do emprego aconteceu na vida de aproximadamente 12 milhões de brasileiros e não há expectativa da mudança desse cenário nos próximos meses. A perspectiva é que a situação financeira do Brasil melhore sensivelmente apenas no segundo semestre de 2017.

Por isso, a demissão sem justa causa, mesmo que seja menos prejudicial que uma ruptura de contrato de trabalho por justa causa, também provoca uma grande mudança na vida do funcionário e de todos aqueles que dependem de sua ajuda financeira para subsistência. Portanto, a ação mais problemática para o cotidiano de um colaborador nos dias de hoje é ser comunicado sobre o seu desligamento da empresa.

Veja mais sobre acerto trabalhista e seus direitos

O que acontece após o comunicado da demissão sem justa causa?

Depois que o setor de Recursos Humanos é informado da dispensa sem justa causa do trabalhador, a modalidade do aviso prévio é escolhida e o funcionário pode cumprir os seus últimos dias ou ser indenizado imediatamente e ser liberado dessa obrigação.

No decorrer do aviso prévio, o funcionário continuará exercendo as suas atividades naturalmente, sendo obrigado a cumprir com horários de chegadas e saídas como os seus demais colegas. É compreensível que o trabalhador se sinta abatido com a demissão, mas, é indicado que não aja sem pensar para não prejudicar a continuidade de sua carreira.

A demissão sem justa causa se trata de algo comum para boa parte dos trabalhadores e qualquer atitude intempestiva durante pode comprometer uma nova oportunidade ou mesmo uma chance de retornar a empresa no futuro.

Afinal, ninguém sabe o dia de amanhã, você pode acabar negociando com um antigo colega de trabalho, sendo requisitado novamente pelo patrão ou mesmo indicado para outra vaga. Tudo pode acontecer, portanto, siga desempenhando suas tarefas com ética e bom senso.

Nos últimos sete dias do aviso prévio, o trabalhador pode optar por encerrar o expediente com duas horas de antecedência a fim de buscar por outra vaga de trabalhou ou cumprir o horário normalmente e finalizar o período antes do previsto. Vale citar que essa decisão cabe apenas ao trabalhador.

Seguro-desemprego e a busca por outro serviço

Após todo o processo de desligamento da empresa, o profissional tem direito de requisitar o seguro-desemprego se trabalhou mais de 18 meses com carteira assinada. Os valores e o tempo do beneficio são proporcionais ao salário e ao tempo de serviço prestado a empresa.

Esse auxílio pode durar até cinco meses e serve como uma maneira de garantir uma subsistência digna para trabalhador até sua recolocação no mercado de trabalho.

A partir daí, o cidadão pode contar com a ajuda das agências do Sine para encontrar algum cargo que tenha a ver com suas habilidades, recorrer a amigos e familiares, procurar por anúncios nos veículos de comunicação ou até mesmo buscar por vagas nas redes sociais.

Dúvidas trabalhistas? Acesse Beirith Advogados e entenda os seus direitos!

No comments yet.

Deixe uma resposta

*