Portugal quer apostar mais no ensino profissional

A partir de 2012, o Governo Português pretende que mais alunos que vão iniciar o ensino secundário optem por seguir um curso profissional.

Para os jovens que não têm no seu horizonte seguir para um curso superior, após conclusão do secundário, o ensino profissional é uma excelente alternativa uma vez que lhes permite aprender uma profissão (obtendo a respectiva certificação profissional), o que aumenta grandemente as suas hipóteses de conseguir um trabalho após concluírem a sua formação.

No entanto, nem todos os cursos profissionais conferem as mesmas chances para entrar no mercado de trabalho: existem áreas em que a procura está aumentar enquanto que outras há em que a procura está a diminuir.

Neste momento, por exemplo, é de evitar cursos ligados à área da construção, dado que em Portugal o setor da construção está estagnado e não terá capacidade para absorver os alunos que saem dos cursos profissionais. Prevê-se que esta área demore alguns anos a recuperar, e quem sabe no futuro esta voltará a ser novamente uma boa área (tal como foi na década de 90).

Antes de 2000, os cursos profissionais ligados ao setor da construção eram uma boa aposta. Cursos como o de medidor orçamentista ou preparador de obra tinham grande procura no mercado de emprego.

Nesta altura, e nos anos mais próximos, os cursos que apresentam as melhores perspetivas de emprego são os que estão relacionados com o setor das energias renováveis, da eletricidade, da climatização, da informática, da cozinha,  etc.

Para quem quer acabar o 12º ano e entrar no mercado de trabalho o ensino profissional é sem dúvida a melhor opção.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*