Processar meu empregador pode me prejudicar?

Essa é uma dúvida que assola muitos profissionais que desejam entrar com reclamatória trabalhista: a decisão de buscar a reparação por um direito que me foi negado irá me prejudicar no futuro? Diante dela, muitas vezes, o trabalhador chega a recuar, deixando de ingressar em um processo trabalhista e abrindo mão de seus direitos.

O medo de enfrentar o antigo empregador nos tribunais pode parecer grande, mas, o desejo de ter seus direitos garantidos deve ser maior.

Esse medo está diretamente associado ao fato de que, antigamente, os trabalhadores possuíam menos acesso à informação. Além disso, existia um estigma sobre o trabalhador que movia ações contra seu antigo empregador, que o impedia de conseguir outros empregos.

Essa realidade não existe mais, pois a empresa não possui meios para saber se um funcionário está envolvido em algum processo trabalhista. Uma empresa não possui autorização para verificar a certidão negativa de pessoas físicas, como é o caso do empregado ou candidato, mas apenas de pessoas jurídicas, ou seja, outras empresas.

Sendo assim, o único modo de uma empresa descobrir que um candidato a emprego processou o antigo empregador, por exemplo, é entrando em contato diretamente com o antigo empregador.

É importante lembrar que o empregador correto e esclarecido não verá isso como um problema. E, caso ele se intimide com o seu histórico, talvez ele simplesmente não seja um bom empregador.

Portanto, não tenha medo de abrir um processo trabalhista.

Caso qualquer direito trabalhista esteja sendo negado, procure orientação de especialistas. E não tenha medo, faça valer seus direitos, mesmo que seja através de um processo trabalhista.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*