A importância da formação de pessoal para um casino de jogos

Os jogadores constituem a principal fonte de rendimentos dos casinos de jogos e para contentar a clientela é necessário ter funcionários com formação necessária para lidar convenientemente com o público. Qual a importância da formação de pessoal para um casino de jogos e que aspetos dessa formação devem ser trabalhados a fim de melhor responder às dúvidas dos clientes é o tema que vamos abordar em seguida:

Simpatia

Embora a simpatia seja uma qualidade inata pode sempre ser aprimorada e desenvolvida. Um funcionário de casino, independentemente da função que desempenhar dentro do casino, tem forçosamente que ser simpático para com o público em geral. Ser simpático não significa estar permanentemente com um sorriso estampado no rosto. Ser simpático é muito mais do que sorrir e uma adequada formação valoriza e incentiva a empatia natural que todos temos. Dessa forma um colaborador simpático é aquele que acolhe cada dúvida do cliente, está sempre disponível para ajudar a solucionar dificuldades, sabe prestar informações importantes e se mostra interessado e ouvinte. Muitos jogadores preferem os casinos aonde os funcionários são mais simpáticos e isso só por si revela a extrema importância do ensino da arte da simpatia dentro dos estabelecimentos de jogo.

Conhecimento

É indispensável que a formação abranja a área do conhecimento dentro do contexto do casino. Um funcionário competente e conhecedor dos meandros dos jogos de casino, das suas regras e técnicas é uma ferramenta preciosa para qualquer casino. Todo o investimento que for feito na formação de pessoal tendo em vista o seu acréscimo de competências técnicas é bem empregue e tem retorno garantido. Poucas coisas irritam e indispõem mais os jogadores de casino do que funcionários que desconhecem a essência dos jogos e cometem erros e omissões por ignorância.

Polivalência

Um bom colaborador é aquele que não se limita às funções restritas para as quais foi contratado e antes alarga o seu meio de ação consoante surgem diferentes necessidades de serviço. Formar os funcionários para que sejam capazes de responder a diversas situações dentro do casino é uma mais-valia e pode vir a revelar-se de extrema importância. O saber não ocupa lugar e nunca é demais, por isso apostar na polivalência do pessoal é poder estar melhor preparado para a agitação eletrizante que é a vida de um casino de jogos.

Flexibilidade

Funcionários flexíveis não são intransigentes, não faltam ao serviço sem justificação, não se negam obstinadamente a trocar folgas ou turnos, não se recusam de forma teimosa a ajudar em qualquer eventualidade. Importa que o casino saiba que pode contar com os seus funcionários caso surja algum imprevisto ou algum obstáculo de força maior. Uma boa formação dá ao funcionário a consciência de que faz parte de um todo e que por vezes é preciso colocar os interesses comuns acima dos interesses pessoais quando surge uma necessidade premente.

Honestidade

Formar adequadamente os colaboradores do casino no sentido de cumprirem com rigor todos os requisitos legais e de não colocarem em hipótese alguma o bom nome do casino em cheque através de manobras menos claras é de extrema importância para os casinos. Os funcionários são a face visível do casino e são eles que dão rosto às políticas internas postas em prática pelas gerências das casas de jogos. Por isso é absolutamente necessário que nunca paire sobre nenhum colaborador a menor suspeita de desonestidade. Uma formação exigente e conscienciosa que aborde todos os tópicos sobre honestidade e possíveis consequências da falta dela é uma imposição natural.

Dar formação adequada ao pessoal é uma exigência a que nenhum casino se pode furtar. No próprio interesse das casas de jogos é necessário que os seus funcionários cativem os clientes através da excelência do seu desempenho. Proporcionar formação aos colaboradores é hoje em dia parte fundamental da arte de bem gerir um casino.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*