180 anos de cabos de aço

cabos de açoCom mais de 180 anos os cabos de aço foram desenvolvidos por um alemão que quis facilitar a extração nas minas de carvão. Em 1834, criou um substituto para as correntes utilizadas nas minas.

Esse invenção aconteceu, pois devido ao aumento de profundidade das minas, as corrente precisavam ser maiores, e isso acarretou uma dificuldade na extração, porque  quanto maior a extensão no comprimento das correntes,  maior o peso das mesmas, tornava-se tão grande que eram impraticáveis.

Assim, o alemão, Wilhelm Albert teve a desenvolveu os arames traçados, que se tornam os cabos de aço. Estes são formados por fios de aço, obtidos pelo processo de esticamento, chamado tecnicamente de trefilação.

Estes cabos são compostos por um pernas e almas. Um conjunto dos fios de arame formam uma perna. Porém, esta é apenas uma parte da construção do  cabo de aço, pois um conjunto de pernas é novamente trançado em volta de uma alma, formando então o cabo final.

Em 1834 os  primeiros cabos de aço era formados por 3 pernas, cada uma por 4 arames sem uma alma. Um 3×4 compacto, como conhecemos hoje. Os arames e as pernas eram torcidos para o mesmo lado. Hoje chamaríamos de torção “Lang”.

Os primeiros cabos de aço eram formados por arames que tinham um diâmetro de 3,5mm e uma resistência à tração de 520N/mm². Para padrões atuais são arames fracos, pois trabalha-se hoje com arames quase 4 vezes maiores. Mas para a época de sua invenção estes cumpriram muito bem sua obrigação e foram capazes de substituir as correntes usadas.

Com o passar do tempo os sofreram aprimoramentos, chegando ao que é considerado ideal: sete pernas, sendo uma delas é a alma, sendo todas do mesmo diâmetro e mesma formação. Também descobriu-se que a alma poderia ser substituída por uma corda de fibra natural que por sua vez poderia ser lubrificada.

No comments yet.

Deixe uma resposta

*